DESCUBRA UMA NOVA FORMA DE VIAJAR O MUNDO ATRAVÉS DO WORK EXCHANGE. ECONOMIZE E AGREGUE EXPERIÊNCIAS RICAS NA SUA BAGAGEM.

Work Exchange na Califórnia: Conheça um mundo sob outro olhar – parte 1

Ufa, depois de uma semana bem agitada aqui na Califórnia, consegui ajeitar as coisas para contar um pouco sobre o que tem sido minha experiência por aqui.

Como tenho mencionado bastante no blog, o quesito dinheiro tem sido cada vez menos um grande empecilho quando falamos de viagens para o exterior, visto que hoje em dia existem infinitas maneiras econômicas de se conhecer novos lugares, o que posso falar com total propriedade, pois é o que tenho feito ultimamente e contarei um pouco mais sobre isso aqui nesse post.

Ano passado, durante os seis meses que fiquei na Europa, parte da minha viagem foi fazendo work exchange (traduzindo, intercâmbio de trabalho), ou seja, trabalhar em troca de alimentação e moradia, coisa que tem se tornado cada vez mais popular em todo o mundo.

Com isso, consegui eliminar mais de 50% das minhas despesas, o que já é muito mais do que meio caminho andado para que deixemos as limitações financeiras de lado e comecemos a programar a viagem dos sonhos.

Após minha primeira experiência de work exchange como voluntária em fazendas orgânicas, através do programa mundial chamado WWOOF – veja essas e outras dicas de como viajar mais barato aqui –  eu comecei a enxergar o mundo de outra maneira. Pude ter a oportunidade de viver os costumes daquele lugar, e ao mesmo tempo ajudar de alguma forma às pessoas que lá viviam, através dos meus serviços como voluntária, além de fazer novos amigos e conhecer locais que nem imaginamos fazer parte desse planeta.

20150624_193929
Horta orgânica da casa onde vivo em Sacramento

Então, o meu desafio seguinte foi encontrar um lugar nos Estados Unidos, mais especificamente na California onde eu pudesse fazer esse tipo de voluntariado, e comecei uma busca na internet. Depois de alguns e-mails enviados, recebi a resposta positiva vinda de uma fábrica de cider (podemos chamar de sidra, em português, mas que nada tem a ver com a sidra que conhecemos).

Não usei nenhum programa dessa vez, apenas tive indicação de algumas pessoas, o que parece ser louco no Brasil, pois aceitar morar em um lugar onde nunca se viu a cara do indivíduo e muito menos saber sobre seu comportamento e hábitos, para nós, brasileiros, desconfiados e medrosos de tudo, cheira a problemas na certa…

photo 2
Eu e meu colega de trabalho Jethro na fábrica de cider

E cá estou, morando na cidade de Sacramento, capital da California, a menos de duas horas de São Francisco, trabalhando entre 4 a 5 horas por dia na fábrica, fazendo novos amigos e aprendendo milhares de coisas todos os dias.

Quando digo que esse tipo de experiência nos dá um outro olhar, é muito além do que parece. Morar com pessoas nativas é a melhor maneira de explorar a fundo cada lugar, não apenas aqueles que vemos nas revistas dos aviões… tudo acaba sendo muito mais barato, já que turistas geralmente não conhecem esses pontos, além de termos a chance de praticar um outro idioma e aprender com os locais sobre a cultura da região.

Dependendo do tipo de trabalho a ser feito, é possível aprender uma nova habilidade, que no meu caso, atualmente, é como produzir cider, ou seja, é conhecimento atrás de conhecimento. Além disso, os finais de semana são livres, o que é perfeito, pois é possível viajar e conhecer cidades vizinhas.

20150624_171938
Barris de cider





Não tenho ainda uma data definida para ir embora de Sacramento, pois tenho um acordo aberto com o Vincent, que é o dono da fábrica e a pessoa que está me acomodando. A única coisa que posso dizer é que tenho tido ótimos momentos por aqui.

Me senti muito bem acolhida desde que cheguei. As pessoas são muito atenciosas, conversam com você o tempo todo, seja na rua, no supermercado, no bar. São muito solícitos e educados, e sentem-se gratos por tudo.

20150628_124936
Winchester Mystery House – San Jose

Como eles se importam muito com o meio ambiente, existem supermercados enormes que vendem apenas produtos orgânicas, desde frutas e legumes até absorventes higiênicos, e que não custam uma fortuna. Quase todo o lixo é reciclado, onde é possível encontrar latas separadas para cada material até mesmo em pequenas lanchonetes de bairro.

São Francisco, uma das cidades referências no mundo quando o assunto é sustentabilidade, tem como meta reciclar 100% do lixo e já está bem perto disso. Até a refeição que comi no avião é servida em material reciclável, e não em plástico como costumamos ver. Nas vias expressas, existe uma faixa exclusiva para os carros que transpotam três pessoas ou mais (para incentivar a carona), e também para veículos elétricos/híbridos, que são bastante comuns na Califórnia, uma forma de presentear pessoas mais sustentáveis a fugirem do trânsito que costuma ser bem intenso nas estradas diariamente.

20150629_161620
Vinícola Bogle, próxima ao rio Delta



Booking.com

Todas essas informações, eu descobri com as próprias pessoas que moram aqui, e esse é apenas um entre vários outros motivos nos quais ficar entre eles nos permite enxergar muito além do que apenas turistas visitando lugares bacanas.

Espero vê-lo (la) em breve e caso queira saber mais sobre essa nova maneira de viajar, fique à vontade para me enviar um e-mail: porumavidamaisrica@gmail.com, pois estarei totalmente disponível em ajudar no que for preciso!

Gratidão!

Post Author
Amanda Barbosa

Comentários

3 Comentários
  1. postado por
    Amanda Barbosa
    ago 23, 2015

    Olá Karina! Que delícia saber disso. Cada vez que recebo mensagens como a sua, meu coração se enche de alegria! Quanto a dúvida sobre o WWOOF, sim, é necessário pagar a taxa ANUAL para cada região, mas não se trata necessariamente de um só país. Ano passado, eu paguei a taxa unica para ter acesso às fazendas do Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte), tudo depende de como funciona cada WWOOF. Porém, pelo site https://www.helpx.net/helpex.asp, você pode ver alguns detalhes sobre os locais antes de pagar a taxa. A diferença é que ele não é apenas voltado para fazendas orgânicas. Você pode trabalhar em hostels, casas de família, etc. Quanto ao pedido do post sobre a minha rotina na fazenda, pode deixar que vou bolar uma coisa bem bacana. Tenho postado bastante no Instagram também, então caso tenha, me segue lá e ai voce pode acompanhar um pouco mais do que estou fazendo por aqui: @porumavidamaisrica – goo.gl/EAyNuW . Alem disso, você pode encontrar mais informações de como era a minha rotina na fazenda da Inglaterra nesse post: http://goo.gl/FlBstX. Boa sorte! Gratidão, Amanda

  2. postado por
    KARINA
    ago 23, 2015

    Você poderia fazer um post contando o seu dia a dia na fazenda? Tipo horarios que acorda, trabalha, suas refeiçoes como são e claro, como são as pessoas que trabalham e moram com voce? To morrendo de curiosidade pra saber tudo hehe 🙂 Conte tambem o que voce tem feito nos fins de semana, se ja viajou! bjusss

  3. postado por
    KARINA
    ago 23, 2015

    Amanda conheci sua história pela entrevista que vc deu pro blog Vira Volta e me identifiquei muito! Corri aqui pro seu blog e vou ler todos os posts, estou amando ler tudo! Hoje em dia levo a vida que vc levava aqui no Brasil, com um emprego estavel, salario ok e as miseras ferias de 30 dias. Passo os outros onze meses do ano pensando como eu quero que chegue logo as ferias pra eu poder viajar 🙁 Sua historia tocou meu coraçao, estou empenhada em juntar uma grana esse resto de ano e ano que vem pedir licença no meu serviço (posso pedir um licença nao remunerada por tempo indeterminado) e partir pra uma viagem a baixo custo e sem uma data fixa pra voltar! Adorei seus relatos sobre o workexchange e quero muito tentar fazer algo assim tbm, ainda mais que amo natureza, vida no campo, bichos etc. Ja entrei no site da WWOOF pra pesquisar um pouco mas vi que só pra quem é membro da pra saber mais detalhes..por isso queria tirar uma duvida com vc, aquela taxa que paga (acho que é U$40) é anual? e eu tenho que pagar essa taxa pra cada um dos sites do WWOOF que eu quiser entrar, tipo Portugal,Holanda,Eua..? Continue postando suas historias por aqui, estou amando te acompanhar e quem sabe um dia nos encontremos por esse mundão! Boa sorte, TUDO DE BOM NA SUA VIDA! =)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Por Uma Vida Mais Rica ☆Se reinventando na maneira de viajar o mundo. Colaboração + tecnologia = experiências ricas (e econômicas)☆by Amanda Barbosa 👻Snapchat: vidamaisrica

Siga-me no Instagram