DESCUBRA UMA NOVA FORMA DE VIAJAR O MUNDO ATRAVÉS DO WORK EXCHANGE. ECONOMIZE E AGREGUE EXPERIÊNCIAS RICAS NA SUA BAGAGEM.

Quer fazer acontecer? Mantenha-se em movimento!

movimentoSomos movidos por sonhos e paixões – que vão dos menores aos maiores e mais significativos. E recebemos do universo um presente chamado vida, pra poder lutar por tudo isso. Porém, frequentemente a gente se vê procrastinando eternamente e empurrando a vida com a barriga – até as 18h, até sexta, até o feriado, até as férias, até o fim do ano – e aí entramos na onda das resoluções de ano novo e fazemos promessas impossíveis, que sabemos ser incapazes de cumprir.

O fato é que colocar grande parte das coisas que a gente deseja realizar em prática pouco depende de sorte, de previsões astrológicas (nem Mãe Dinah previu a própria morte), da quantidade de diplomas que você possui e não é determinado pela quantidade de dinheiro que tem na sua poupança. Na maioria das vezes, são mudanças simples (como consumir menos açúcar, fazer 30 minutos de atividades físicas por dia ou estudar algumas horas por semana), mas que a gente resiste bravamente.

Eu queria ser escritora. Mas eu não fazia o óbvio: pregar a bunda na cadeira e escrever. Incessantemente. Incansavelmente. Até sentir cãibras. Escrevia um texto aqui, outro acolá, criei um site quando ainda não tinha condições de investir pesado – o que resultou em pouquíssimos seguidores durante muitos meses. Hoje a coisa melhorou um pouco. Mas o fato é que eu apenas desejava, mas não tinha o hábito dos grandes escritores: escrever todos os dias. Nem que seja um parágrafo. Mesmo que não estivesse perfeito (até hoje não está; vira-e-mexe eu dou uma escorregada no português).just-believe-in-your-dreams

A oportunidade de colaborar com diversos sites e escrever sobre assuntos como amor, sexo, trabalho, feminismo e temas relacionados surgiu quando eu finalmente me aceitei como escritora e passei a me comportar como tal. Quando eu definitivamente saí da inércia. Nos momentos em que eu estava quase parada, produzia algo, levava portadas na cara de grandes blogs e quase desistia. Entrava na minha caverna e ficava semanas reclamando, usando de verborragia desnecessária em vez de gastar a energia pra fazer mais e mais aquilo que amo, e assim me aprimorar.

Os espaços para poder publicar foram surgindo, e hoje me falta tempo pra escrever em todos os lugares que tenho liberdade de publicar. Mas não foi imediato: escrevo desde 2013 e o boom aconteceu esse ano, mais especificamente em junho. Tive que quebrar a cara, perceber as minhas dificuldades e me profissionalizar como artesã das palavras – poucos escritores tem o dom, um talento nato e são literalmente autodidatas. Comecei a fazer cursos e estou cada vez mais apaixonada pela escrita. Estou lendo bastante também. Não apenas os melhores blogs de comportamento, como sempre tive costume. Mas livros físicos também. De diversos autores e várias épocas. E pouco a pouco, as portas vão se abrindo pra mim.

Doorway revealing bright light in dull grey roomAntes que você se pergunte, eu respondo: não, eu ainda não ganho pra isso. Eu tenho um trabalho comum, como muita gente. Eu não “vivo de blog”. Mas trabalhar de graça está me fazendo adquirir experiência, aprender com os erros, melhorar em língua portuguesa, testar que tipo de texto gera visualizações, curtidas, compartilhamentos e comentários. Está sendo um laboratório muito interessante. E eu não teria a possibilidade de melhorar pela tentativa-e-erro se estivesse sendo remunerada. Eu já teria que ser foderosa, entende?

Tirar um sonho do papel e começar a agir para concretizá-lo não garante o sucesso. É só a primeira de muitas trilhas que você irá desbravar. Mas uma certeza eu tenho: se você não der o primeiro pontapé, ele nunca se tornará realidade. Ainda que a gente viva na mais absoluta incerteza (pois a única que temos é a brevidade da vida), vale a pena começar qualquer coisa que você deseja, cujo primeiro passo esteja dentro das suas possibilidades. A vida vai passar de qualquer forma. Antes um “eu tentei” com as dores de um possível fracasso do que o lamento por um triste “eu deixei passar”.


Post Author
Amanda Barbosa

Comentários

2 Comentários
  1. postado por
    Amanda Barbosa
    ago 10, 2015

    Obrigada Fabio!

  2. postado por
    Fabio Nogueira
    ago 10, 2015

    Muito interessante o conteúdo, parabéns pelo Blog

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Por Uma Vida Mais Rica ☆Se reinventando na maneira de viajar o mundo. Colaboração + tecnologia = experiências ricas (e econômicas)☆by Amanda Barbosa 👻Snapchat: vidamaisrica

Siga-me no Instagram