DESCUBRA UMA NOVA FORMA DE VIAJAR O MUNDO ATRAVÉS DO WORK EXCHANGE. ECONOMIZE E AGREGUE EXPERIÊNCIAS RICAS NA SUA BAGAGEM.

Vídeo emocionante mostra por que você não deve esperar para ir atrás dos seus sonhos

Que a vida é uma só e que precisamos aproveitar cada dia como se fosse o último, todos nós estamos carecas e cansados de saber. Mas, será que na prática nós temos mesmo levado essa filosofia como verdade em nossas vidas?

Esse projeto me fez sentar e chorar igual criança por uns dez minutos seguidos… ele mostra que o amor pode até mesmo vir de pessoas que nós sequer fazemos idéia de sua existência…

Texto: G1

Manu e Paula, pai e filha. Manu ou Emanuel era um homem de muitos sonhos.

“Ele queria conhecer lugares meio místicos assim, sabe? O Egito, que era meio místico. No México, aquelas pirâmides. Ele gostava muito de lugares meio misteriosos”, conta Paula Arnoso, filha de Manu.

O que faltava era coragem. “Eu falava que ele era um sonhador de sofá”, diz Paula.

Manu só conhecia o mundo de longe. Paula queria que ele vivesse tudo de perto. E, depois de muita insistência, ela conseguiu convencer o pai a fazer uma lista, a lista dos sonhos.

“Eu falei: ‘Pai, vamos colocar no papel todos os lugares que você gostaria de ir um dia’. Ele topou, mas levou na brincadeira. Falou: ‘Está bom! Poe aí então! Quero ir para Yellowstone, quero ir para o Grand Canyon, quero ir para as pirâmides Incas do México”, conta Paula.

Mas antes da lista virar realidade

“Ele tinha algumas dores no estômago. No começo de fevereiro, a gente já achou o tumor e já viu que o tumor tinha dominado todo o abdômen dele. Então daquele dia, ele já foi internado e dali em 20 dias ele faleceu”, conta.

O sonho de conhecer o mundo ficou só na lista no celular de Paula, mas por pouco tempo. Ela quis transformar a perda do pai em uma mensagem de esperança. Entrou na internet, divulgou a lista e fez um pedido. Procurou pessoas que fossem visitar algum lugar da lista do Manu e pediu que elas mandassem uma mensagem simples: “Manu estamos aqui”.

“O primeiro vídeo foi da Sibéria, de duas meninas na neve. Eu olhei e falei: ‘Nossa!’. Foi a Sibéria, depois chegou do Egito, aí chegou do deserto do Saara, aí depois Chile, depois México. Pessoas desconhecidas, de amigos de amigos de amigos de amigos de amigos”, diz Paula.

manu3

Tudo isso virou um vídeo, ‘O projeto de Manu’, publicado em abril. Foi visto por 80 mil pessoas.

“Todo dia eu recebia mensagem de pessoas. E não eram curtas, eram textos gigantescos de pessoas contando as suas histórias para mim. Pessoas que têm sonhos, mas vão sempre deixando para o amanhã e quando chega o amanhã talvez é tarde demais”, ressalta.

manu2

Só faltava um lugar, um lugar especial e difícil de alcançar. “Faltou a Antártica”, diz Paula.

A Paula decidiu completar a lista do pai ela mesma e transformar a viagem em um novo vídeo, uma nova homenagem. Comprou as passagens e partiu para o continente gelado.

VaiManu1

“Três horas antes do meu voo sair, recebi uma ligação da agência de viagens, dizendo que a viagem tinha sido cancelada. Ela me ligou avisando que tinha muita neve na pista, que tinha quebrado um avião na pista da Antártica e ninguém conseguia decolar nem pousar lá”, conta.

Sem voo, sem navio, Paula resolveu encarar o desafio mesmo assim. Pegou o avião e foi para Ushuaia, na Argentina, na pontinha da América do Sul tentar encontrar algum caminho que a levasse para a Antártica.

“A frustração de não ter feito nada a gente não vai ter”, disse.

Paula e a amiga Larissa andaram a cidade toda, procurando uma saída.

“Não tem um navio durante essa semana saindo para a Antártica”, disse na época.

“Tudo que eu esperava aconteceu de forma diferente. E essa viagem da Antártica foi o que realmente me fez entender o porquê de tudo. Às vezes, assim, na vida, você planeja muitas coisas, você idealiza um futuro, você se prepara, você trabalha para aquilo. Mas alguma situação de repente acontece e tudo aquilo que você planejou vai por água abaixo. Naquele momento onde tudo está perdido, você tem que fazer o melhor com o que você pode, com a situação que está ali, na sua frente”, diz.

manu5

Quem estava na frente da Paula era o alemão Tino. Ele estava viajando o mundo. E qual era a última parada?  “A Antártica era o último lugar da lista dele também”, destaca.

“O Tino descobriu uma família francesa que tinha um veleiro. Desses barcos pequenos e tinha um lugar no veleiro. E o Tino decidiu ir. Ficar um mês na Antártica”, conta Paula.

manu6

A Paula não tinha tanto tempo à disposição. E depois de cinco dias, procurando uma saída ela tomou uma decisão.

“Eu olhei para o Tino naquele momento e falei: ‘Nossa, ele vive os sonhos dele!’”, diz.

Tino iria completar a lista do Manu.

“’A vida é curta para ser pequena’”, leu Tino.

manu7

Paula voltou para o Brasil. Tino partiu para a Antártica. E alguns dias depois, nesta semana.,,

“Ele só mandou me mandou assim: ‘Paula!’. E me mandou uma foto. Eu abri a foto e era ele na Antártica segurando a bandeira”, conta.

“Nunca é tarde demais. A gente tem que passar por cima dos medos que são eles que impedem a gente de viver os nossos sonhos e realizar aquilo que a gente quer. Então, eu diria para no ano que vem essas pessoas tomarem um gole de coragem”, diz Paula.

Assista ao vídeo:


Fonte: G1

Fotos: Nômades Digitais

 

Post Author
Amanda Barbosa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Por Uma Vida Mais Rica ☆Se reinventando na maneira de viajar o mundo. Colaboração + tecnologia = experiências ricas (e econômicas)☆by Amanda Barbosa 👻Snapchat: vidamaisrica

Siga-me no Instagram