DESCUBRA UMA NOVA FORMA DE VIAJAR O MUNDO ATRAVÉS DO WORK EXCHANGE. ECONOMIZE E AGREGUE EXPERIÊNCIAS RICAS NA SUA BAGAGEM.

Saiba como é a vida do homem que viaja o mundo com menos de $10 por dia

Depois de sua primeira viagem para o exterior em 2005, Nomadic Matt, o fundador do blog de viagens http://www.nomadicmatt.com/ voltou para casa, pediu demissão do seu emprego e se preparou para viajar o mundo. Muitas pessoas pensaram que ele havia ficado maluco e muitas outras reprovaram a sua decisão Esse foi um dos motivos que o levou criar uma comunidade dentro do seu blog, onde pessoas que compartilham das mesmas opiniões e estilo de vida, têm a oportunidade de interagir, encorajar e aconselhar umas as outras.

O croata Tomislav Perko, um dos membros mais ativos da comunidade, tem relatado viagens que vem fazendo desde 2008, com um orçamento extremamente baixo: $10 por dia. Porém, esse nível de austeridade não é para qualquer um…

Tomislav decidiu se libertar do estilo de vida comum: nascer – ir para a escola – se casar – trabalhar em algo que não gosta – ter filhos – se aposentar e morrer. Ele publicou um livro chamado 1,000 Days of Spring que rapidamente se tornou um best-seller na Croácia e em breve lançará seu segundo livro.

traveller with the Massai people in Kenya

Antes de se demitir, ele era um corretor da bolsa de valores. Usava terno, gravata, frequentava os melhores restaurantes e tinha muito dinheiro. Mas a crise financeira chegou, e ele perdeu tudo.

Foi nessa época que ele descobriu o Couchsurfing, e começou a receber viajantes na sua casa (leia mais sobre como é a experiência de quem abre a porta de seus lares para o mundo aqui). Ele ouviu histórias e mais histórias de pessoas que estavam na estrada, e viu que todas tinham algo em comum: um brilho inexplicável que saia de seus olhos. E então, decidiu experimentar…

E assim fez!

“Eu nunca planejo nenhuma viagem. Quando eu começo a viajar eu geralmente tenho pouco dinheiro, e o que eu gasto na estrada determina o tempo que irei passar nela”. $10 é mais do que o suficiente para cobrir as necessidades básicas, e a melhor coisa é que eu adoro viajar dessa maneira. Eu amo o desafio de não saber aonde exatamente eu irei dormir, o que terei que fazer para conseguir chegar nos lugares e o que eu vou comer”.

Para ele, o fato de ter quebrado financeiramente foi a melhor coisa que aconteceu em sua vida. “Quando você viaja com um orçamento baixo, você aprende a dar valor a coisas simples como um prato de comida quente, e uma cama confortável… você é grato pelas pequenas coisas que você nunca se dá conta quando tem condições de pagar (como fazer três refeições por dia no ambiente aconchegante de sua casa, por exemplo). Você é grato por todos esse milagres, que inevitavelmente acontecem diariamente”.

solo backpacker hitchhiking in Iraq to Iran

Ele diz que $10 é a media que ele gasta por dia, mas claro que tem dias que ele gasta $50, e outros que gasta $100, dependendo de suas necessidades. Mas para compensar, ele passa algumas semanas ou meses fazendo work exchange e house sitting, o que não gera quase nenhuma despesa, e no final das contas, acaba equivalendo a $10 por dia.

rough camping under a semi truck in Africa

Para se locomover de um lugar para o outro, ele geralmente pede caronas na estrada e considera seguro, rápido e de grande valia. Tomislav diz que o melhor de tudo são as histórias que ouve durante o trajeto, as lições que aprende e a interação que acaba tendo com as pessoas locais. Ele também costuma caminhar bastante e usar meios de transporte baratos em alguns países.

Na maior parte do tempo, o croata se hospeda através de Couchsurfing. “Muitos anfitriões no Couchsurfing te levam para sair com seus amigos, e para reuniões de família, além de mostrar lugares incríveis que você provavelmente não teria a oportunidade de conhecer”.

Tomislav costuma comprar comida em supermercados e cozinhar na casa de seus anfitriões. Raramente vai a pubs e muitas vezes fica a espera da pizza que foi deixada na mesa do restaurante, que nem sequer foi tocada, e a devora. Há quem diga que 40% dos alimentos produzidos no mundo são jogados no lixo, o que seria suficiente para acabar com a fome no planeta.

traveler with a head wound after a surfing accident stares onto the ocean overseas

Fica claro que esse tipo de viagem não é para qualquer pessoa, mas Tomislav é um dos que experimentou e gostou. Ele diz que nunca viaja para visitar pontos turísticos e sim, pela experiência. “Ao invés de visitar o museu do Louvre, comer em restaurantes incríveis na Itália, fazer um passeio de barco ou um safari, eu prefiro conviver com pessoas, aprender com elas e viver como um nativo daquele lugar. Para isso, eu não preciso de muito dinheiro”.

“Viajar dessa maneira é mais limitante e mais desafiador, mas desafios e limitações são duas coisas que nos trazem para o momento presente”.

beautiful african girl dressed colorfully

Ele já trabalhou em fazendas de permacultura no Himalaia, gerenciou uma casa em Malawi, passou algum tempo em orfanatos, limpou quartos e tomou conta de 5 cachorros e 14 gatos no Equador. “Fazer trabalho voluntário (work exchange) é uma ótima forma de economizar dinheiro, dar um respiro, e o mais importante: aprender sobre o lugar que você esta visitando e interagir com quem vive lá”.

Muitos dos lugares que ele fez work exchange, foram através do site WorkAway.

hitchhiking with a donkey in the desert overseas

“A história mais louca que já me aconteceu em uma viagem, foi quando eu peguei carona em um barco da Austrália para a África sem qualquer experiência de navegação. Éramos apenas quatro a bordo de um barco pequeno durante 45 dias, e não havia nada além do que mar e céu ao nosso redor”.

line of camels in Morocco

solo traveler cooking with host family overseas

Quando Tomislav começou suas viagens, seus pais não o apoiavam, mas hoje, anos depois, eles entenderam que viajar é a sua maneira de viver, que por consequência tornou-se o seu sustento, através da venda dos livros e das palestras que conduz, e hoje dão todo o apoio.

Conselho de Tomislav para aqueles que também têm vontade de desbravar o mundo:

“Viajar não é a melhor coisa do mundo, pois não irá resolver todos os seus problemas. Você poderá ficar sozinho; sentir fome; quase congelar dormindo em um saco de dormir, e isso não é algo que você tem que fazer.

Mas, se você realmente quer, se você sente o desejo de buscar o desconhecido, então saiba que isso é possível. Eu não diria fácil, porque você precisa se ajustar ao estilo de vida na estrada, mas com certeza será recompensador.

Se eu consegui, acredito que qualquer um consiga”.

backpacker hitchhiking on top of a truck in Peru

tomislav travels to Peru and stares at Machu Piccu

Saiba maia sobre Tomislav: FacebookYouTube, TEDxtomislavperko.com.


Via Nomadic Matt

Texto traduzido e adaptado por Amanda Barbosa

Post Author
Amanda Barbosa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Por Uma Vida Mais Rica ☆Se reinventando na maneira de viajar o mundo. Colaboração + tecnologia = experiências ricas (e econômicas)☆by Amanda Barbosa 👻Snapchat: vidamaisrica

Siga-me no Instagram