DESCUBRA UMA NOVA FORMA DE VIAJAR O MUNDO ATRAVÉS DO WORK EXCHANGE. ECONOMIZE E AGREGUE EXPERIÊNCIAS RICAS NA SUA BAGAGEM.

O início da minha viagem de work exchange no Brasil

Alguns dias se passaram desde que retornei da primeira parte da minha viagem através de experiências de work exchange (trocar trabalho por hospedagem) pelo Brasil, mas confesso que esse tempo ainda não foi suficiente para me acostumar com a falta do cheiro de mato, do chá feito com hortelã colhida na hora e de começar o dia com euritmia, um exercício de reverência ao sol.

Engraçado que quando nos desconectamos da vida no automático para viver experiências completamente diferentes de tudo o que vivenciamos em nosso dia a dia, passamos a ter uma percepção do mundo, de nós mesmos e das pessoas, cada vez mais livre de julgamentos e pré concepções.

Foram 23 dias viajando pelo Sul do Brasil, entre Santa Catarina e Rio Grande de Sul, passando por 3 diferentes lugares e, a cada dia que passa, milhares de novas fichas começam a cair…

work exchange Brasil
Florianópolis

E para conseguir organizar todo o conteúdo colhido nessas experiências, eu decidi fazer uma pausa antes de partir de uma região pra outra e assim contextualizar e traduzir aos leitores do Por Uma Vida mais Rica o que foi cada uma delas da melhor maneira possível.

Um dos meus objetivos quando concebi essa viagem, era conhecer de perto os locais cadastrados no Work Nomads – plataforma na qual sou criadora e fundadora, especializada em oportunidades de work exchange pelo Brasil – e dessa forma disseminar conhecimentos sobre práticas sustentáveis, filosofias de vida e apresentar aos brasileiros uma forma de viajar completamente diferente do turismo raso e óbvio de uma viagem convencional.

O work exchange tem como cultura o slow travel, que nada mais é do que viajar devagar, onde o viajante troca o ritmo frenético de uma viagem para ficar mais tempo no mesmo lugar. Isso faz com que a experiência seja muito mais rica culturalmente, possibilitando uma imersão no estilo de vida local. Sem contar o fator econômico, já que o transporte é o gasto mais alto em uma experiência de work exchange.

Portanto se você pretende fazer uma viagem longa e/ou mais barata, minha maior dica é para que você fique o maior período de tempo possível em um mesmo local. Te garanto que depois dessa você nunca mais vai querer sair pulando de galho em galho e terminar sua viagem ainda mais cansado do que quando a começou.

work exchange Brasil
Sítio no interior do Rio Grande do Sul

Bom, mas voltemos às minhas experiências.

Para mostrar um pouco do que vivi durantes esses últimos dias, eu elaborei um breve resumo sobre os 3 diferentes locais pelos quais eu passei, onde listo o conceito e a filosofia de cada host, o tipo de ajuda necessária e o que aprendi ao final de cada um delas.

1. Centro de Empoderamento em Florianópolis

work exchange Brasil

O que é:

Comunidade e hospedaria que tem como metodologia o equilíbrio entre a vida moderna, o cuidado com a saúde/espiritualidade e a importância do contato com a natureza.

O local, que é rodeado de verde por todos os lados e fica a apenas 5 minutos da praia, tem em seu time de voluntários, pessoas de todas as partes do mundo, desde Portugal, Inglaterra e Holanda, até Israel, Dinamarca e Argentina.

Cada voluntário tem uma ou mais funções dependendo da habilidade de cada um, como cozinhar, cuidar da área de eventos e marketing, receber hóspedes, organizar workshops e vivências, etc. A jornada de trabalho é de 6 horas diárias com 1 a 2 dias de folga por semana.

work exchange Brasil

Um dos objetivos da comunidade é mostrar, através de seus workshops e atividades, o quanto é importante testar as nossas capacidades e sair de nossas zonas de conforto, para que dessa forma possamos pensar fora da caixa, transcender limites, estabelecer e atingir metas.

O balanço

Um dos momentos que me marcou muito foi o dia em que fizemos uma trilha noturna, onde apenas a pessoa que estava à frente do grupo usava iluminação. A proposta era cumprir a trilha em silêncio, para que dessa forma pudéssemos sentir mais a fundo o contato com a natureza. A trilha se encerrava em um farol, onde fomos conduzidos a um exercício de controle de respiração que me fez ter a clareza de que somos sim capazes de ir além das limitações de nossa própria mente.

Outro momento muito marcante foi quando me vi tendo que organizar um workshop (em inglês), para contar o início do Projeto Por Uma Vida Mais Rica, o que me tirou o sono na noite anterior. Falar em público para mim sempre foi em grande desafio, mas ter que fazer isso em uma língua que não a minha, tornou tudo ainda mais complexo. Mas, mesmo com todos os meus monstros internos tentando me convencer a desistir, eu assim o fiz!

work exchange Brasil

A minha sensação ao final de 1 semana de voluntariado era de uma leveza enorme juntamente com o pensamento “você é mais capaz do que pensa”.  A experiência me ajudou a deixar para trás crenças limitantes como o medo do julgamento e a sensação de fracasso que, por várias vezes tentava me sabotar em situações de conflito.

Clique aqui para mais informações sobre voluntariado nesse local.

2. Sítio Familiar no Interior do Rio Grande do Sul

work exchange Brasil

O que é

O sítio, que é uma comunidade familiar, fica em uma cidadezinha com 4.000 habitantes a quase 2 horas da fronteira com o Uruguai. No local vive uma família de 5 adultos e uma criança, além de um voluntário que, a princípio, passaria apenas alguns dias antes de seguir viagem pela América do Sul em cima de sua bicicleta, mas se identificou tanto com a comunidade que hoje, 4 meses depois, continua vivendo por lá.

A comunidade utiliza princípios de permacultura e acaba de começar a construir o primeiro quarto de uma pousada ecológica. As tarefas são variadas, podendo ser mais braçais ou não, e vão desde o cuidado com a horta, ajuda na construção da pousada e do banheiro seco, até auxílio na cozinha durante os dias de eventos e vivências.

Por ser um ambiente familiar, a rotina é bastante tranquila e não há horários pré determinados de trabalho ou tarefas designadas com antecedência. A folga varia entre 1 a 2 dias por semana. A acomodação dos voluntários geralmente é em barracas com colchões, com o plus de poder dormir e acordar ao som da cachoeira que fica dentro da própria propriedade!

O balanço

Desde o primeiro dia em que pisei na comunidade, senti-me como se fosse parte da família. Não ter que seguir um horário certo de trabalho despertou um sentimento de auto motivação muito forte dentro de mim onde, minha vontade em ajudar aquelas pessoas se tornava maior a cada dia.
work exchange Brasil

Uma coisa que me chamou atenção foram as “coincidências” frequentes que para mim só provavam o quanto tudo está conectado, e que nós estamos exatamente no lugar em que deveríamos estar…

…Desde cruzar meu caminho com um voluntário português que conheci no centro de empoderamento em Florianópolis dias antes e totalmente ao acaso, até tomar conhecimento da história da Ana, moradora da comunidade, que contou que antes de retornar de uma viagem pela Índia, decidiu se desfazer de uma mochila antiga, que poucos meses depois, apareceu nas costas de uma voluntária francesa em seu sitio no Brasil – esse mesmo lugar, localizado em uma cidadezinha de 4000 habitantes no interior do Rio Grande do Sul!

Clique aqui para mais informações sobre voluntariado nesse local.

3. Comunidade no Interior do Rio Grande do Sul

work exchange Brasil

O que é

O terceiro lugar da minha experiência teve um gostinho especial. Em uma pequena cidade localizada a uma hora e meia de Porto Alegre, vive um suíço com seus filhos e que tem como objetivo transformar sua horta em um jardim botânico comestível.

O local utiliza princípios de permacultura, biodinâmica e antroposofia, e suas tarefas são, em sua maioria, braçais, como cuidar da horta, ajudar com bioconstrução e trabalhar na composteira (adubo natural). Boa parte da comida consumida é produzida por lá, como pães, granola (a melhor do mundo!) iogurte, etc.

Na semana em que me voluntariei, tive a oportunidade de conviver com voluntários e moradores de 5 nacionalidades diferentes: um suíço, uma argentina, uma chilena, um italiano e alguns brasileiros… cada um com suas diferentes culturas, crenças e religiões, porém, unidos por um mesmo propósito, vivendo como uma família e respeitando o espaço e a opinião do outro.

work exchange Brasil

A comunidade possui instalações e estrutura extremamente simples. O alojamento é em quartos geralmente compartilhados e o tempo de trabalho é de 5 horas por dia com 1 a 2 dias de folga. Todas as tardes, durante a semana, ocorrem aulas e discussões sobre diferentes temas como compostagem, antroposofia, homeschooling

O balanço

Por ser em um ambiente rural, o trabalho para mulheres acaba sendo um pouco puxado em determinadas tarefas, pois exige bastante força física, mas a gratificação em saber que eu pude contribuir com algo que irá beneficiar e impactar a saúde e o bem estar de diversas outras pessoas, acaba sendo muito maior do que as dores nos braços no final do dia.

Me dei conta de que a minha percepção de desapego não tinha valor algum depois de conhecer a história da Grazi, uma brasileira que há 2 anos viaja fazendo work exchange pelo mundo com seus filhos de 12 e 7 anos, e que hoje, tudo o que tem cabe dentro de uma mala…

Quem se interessar e quiser saber mais sobre essa história é só acessar seu blog Kids on The Road.

work exchange Brasil

Parti dessa chácara ainda mais inspirada e decida a levar o verdadeiro significado da experiência de uma viagem de exchange para a maior quantidade de pessoas possível, e com o coração cheio de esperança em poder mostrar que esse tal mundo melhor que tanto desejamos e idealizamos, já existe, e está bem aqui do nosso ladinho!

Clique aqui para mais informações sobre voluntariado nesse local.

Se quiser saber mais a respeito de work exchange ou então encontrar pessoas que estejam buscando parceiros para esse tipo de viagem, é só entrar lá no grupo fechado de work exchange no Facebook e pedir para participar, clicando aqui.

Assine o canal Por Uma Vida Mais Rica no YouTube e fique por dentro das minhas experiências e dicas sobre work exchange, clicando aqui.

Assista ao vídeo:

 

Post Author
Amanda Barbosa

Comentários

2 Comentários
  1. postado por
    Amanda Barbosa
    maio 23, 2017

    Olá Aline, desculpe, houve algum problema interno aqui no blog quando o post foi adicionado. Segue o link do local. Já está atualizado na postagem também: http://www.helpx.net/host.asp?hostID=48001&network=9

  2. postado por
    Aline
    maio 18, 2017

    Olá! O link para o centro de empoderamento em Florianópolis não está funcionando.. gostaria de dar uma olhada 🙂

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

Por Uma Vida Mais Rica ☆Se reinventando na maneira de viajar o mundo. Colaboração + tecnologia = experiências ricas (e econômicas)☆by Amanda Barbosa 👻Snapchat: vidamaisrica

Siga-me no Instagram